8.07.2006


ALCÂNTARA jóia rara ouro de mina garimpo no veio no seio da praça tambor de mina no meio do mundo menina de saia rodada na esquina ardor de peito aberto paixão exposta em carne viva água de mina de saciar a sede na moringa alcântara chama alcântara dança alcântara sempre cantará no teu encanto em mim visão de ribamar a emaranhar o coração
Carlos Patrício - 12.06.06

2 comentários:

Jana disse...

e quem viu a "chama vermelha na saia rodada" sabe da paixão emaranhada pelo quase indizível, pela discreta beleza e pelo simplicidade que é o tambor tocando.

suka disse...

ah, alcântara...

um dia apareço por lá...

enquanto isso, me acostumo com os tambores de cá

=O)

bjos!!!