6.12.2008

Artigo muito bacana sobre troca de músicas na internet. Muito parecido com o que eu penso e faço.

O CD Morreu (Marcus Preto)


Um desses blogs que disponibilizam discos inteiros pra download de graça… Espera, deixa eu explicar isso melhor.

Existem pessoas que gostam tanto de música que se dão o trabalho de postar álbuns completos em um provedor de hospedagem de arquivos (tipo Rapidshare) e depois publicar os links de acesso diariamente em seus blogs. Pra quem também gostar de música - ou tiver interesse no artista em questão - poder baixar, ouvir, conhecer. Não sei se ficou claro: os blogueiros não ganham um tostão com isso.

Expliquei. Voltando. Um desses blogs que disponibilizam discos inteiros pra download de graça disse esta semana ter recebido um ultimato da gravadora carioca Biscoito Fino: ou os responsáveis pelo “crime” deletariam os posts relacionados a todos os artistas de seu elenco ou os advogados da empresa seriam acionados. Os posts foram devidamente deletados, já que ninguém quer ir preso ou pagar multa à toa.

A Biscoito Fino tem todo o direito de não querer ver seu produto, que tem um custo alto, sendo entregue de graça na rede. É uma empresa que produz discos e quer ter seu retorno através da venda deles. Mas o buraco que aparece nessa história toda é bem mais embaixo. Afinal, 1 - alguém ainda compra CD no Brasil?, 2 - proibir um blog minúsculo de disponibilizar os tais discos vai aliviar o rombo criado pela pirataria ou pelos downloads de sites gigantescos, tipo Soulseek ou Emule?, 3 - vem ao caso, a essa altura do campeonato, lutar contra a pirataria ou o mais sensato seria viver APESAR dela?, 4 - alguém ainda acredita que o mundo pode voltar à era (e aos hábitos) pré-internet?, 5 - existe quem creia que os mecanismos tecnológicos vão um dia conseguir barrar totalmente a troca de arquivos? Quanta pergunta…

O fato é que o mercado fonográfico já deveria ter se tocado (alguns já se tocaram) de que não adianta querer ficar brincando de Dom Quixote, tentando manter o CD, aquele objeto palpável com um furo no meio, no velho posto de “o produto”? O CD morreu! O negócio agora é mandar às favas o sentimento de posse sobre o objeto e reconhecer que o grande produto é o próprio artista e sua música - que não podem ser pirateados. E inventar novas maneiras de ganhar dinheiro com isso.

E, nesses novos tempos, um blog como o que foi obrigado a apagar seus posts pela Biscoito seria muito bem-vindo. Afinal, divulgação é parte bem importante nessa história. Desde o tempo em que o CD valia alguma coisa.

3 comentários:

quilombra dos palmares disse...

sombarato agradece a referência!
bom saber que tem bastante gente que tá entendendo os novos modelos.

chacarera blues disse...

É isso aí, estamos em sintonia!!!

N.A disse...

CONCORDO 100%.
Como é bom ser tua amiga!
NECKA AYALA